CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  

Com o ultimo pagamento da parcela do Auxílio Emergencial em outubro de 2021, a população fica se perguntando se os pagamentos do Auxílio Emergencial 2022 ainda irão acontecer. Porque a pandemia do coronavírus ainda continua. Iniciado em abril de 2020 para segurar os efeitos da crise econômica, o pagamento do Auxílio Emergencial ajudou mais de 107 milhões de brasileiros, movimentando em media um valor de R$ 293 bilhões.

Em 2021, 37 milhões mais de pessoas foram beneficiadas, sendo investido pelo Governo Federal mais de R$ 26 bilhões de reais. O real público-alvo deste programa foram os trabalhadores sem carteira assinada, autônomos, microempreendedores e desempregados.

No entanto, mães solteiras que cuidavam dos filhos sozinhas receberam uma cota dupla do benefício, ou seja, ao invés de receberem as parcelas de R$600, foram depositados valores de R$1.200. Como igualdade, o Congresso determinou que fossem pagos os retroativos também para pais solteiros que sustentam os filhos sozinhos. 

O que é o auxílio emergencial?

  CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE  

A pandemia da covid-19 começou no Brasil em março de 2020 e já no início, trabalhadores de muitas áreas sofreram um grande impacto no bolso. Por conta disso, o Governo Federal, criou o Auxílio Emergencial.

No inicio, cada pessoa teve direito a cinco parcelas de R$ 600, e as mães chefes de famílias tiveram o direito a cinco parcelas de R$ 1.200. Cada família também podia ter, duas pessoas com os beneficiadas, com o total de até R$ 1.800 por parcela. Depois, o programa foi prorrogado até o mês de dezembro de 2020, porém com parcelas reduzidas, R$ 300 para a população geral e R$ 600 para as mães que sustentam o lar sozinhas.

Más em 2021, mesmo com a pandemia ainda em alta, houve muitas dúvidas se o auxílio emergencial iria continuar. Após muito tempo de espera, o auxílio emergencial voltou a ser pago em abril de 2021 e encerrado em outubro do mesmo ano. Dessa vez, as sete parcelas não tiveram uma quantia única, foram definidas em R$ 150, R$ 250 e R$ 375 de acordo com o perfil de cada beneficiário:

  • R$ 150 para quem mora sozinho;
  • R$ 250 para os representantes de grupos familiares;
  • R$ 375 para as mães solteiras chefes de famílias monoparentais. 

Como funciona o auxílio emergencial?

Como você pode ver, em 2020, são cinco parcelas no valor de R$ 600 para autônomos, MEI e desempregados, seguidas de outras quatro parcelas no valor de R$ 300. Quanto às mães solteiras chefes de famílias monoparentais, são cinco períodos de R$ 1.200 e quatro períodos de R$ 600. 

Em 2021, esse valor passa a ser de 150 reais para pessoas que moram sozinhas; 250 reais para representantes de grupos familiares e 375 reais para mães que sustentam suas famílias sozinhas.

Além do auxílio identificado para o público-alvo, alguns requisitos devem ser atendidos para o recebimento dos benefícios:

  • Idade mínima de 18 anos (exceto mães adolescentes, até menores podem receber);
  • A renda mensal de cada família não ultrapassa três salários mínimos (R$ 3.135);
  • Ter renda mensal de até meio salário mínimo (R$ 522,50) per capita – isto é, por pessoa da família;
  • A renda mensal per capita não ultrapassa a metade do salário mínimo (R$ 522,50), ou seja, todos da casa;
  • Não receber benefício previdenciário ou assistencial, exceto o Bolsa Família – aposentadoria, o benefício de prestação continuada, e seguro-desemprego, por exemplo.

Todos os beneficiários receberam o valor na caderneta de poupança digital da Caixa Econômica Federal. A cada nova parcela, dois calendários são lançados: um calendário de uso digital, os dias em que os recursos serão usados ​​para pagar contas e compras com cartão de débito virtual, e um calendário de saques e transferências, como o próprio nome sugere, para saque ou transferência de dinheiro para outras contas.

O auxílio emergencial vai continuar em 2022?

O Auxílio Emergencial, criado em abril de 2020, ajudou milhares de brasileiros durante a pandemia de Covid-19 e O auxílio emergencial criado em abril de 2020 que ajudou milhares de brasileiros durante a pandemia de covid-19, infelizmente, como o extinto Bolsa Família, terminou em outubro de 2021. Em substituição a esses dois programas, foi criado o Auxílio Brasil, que a partir de novembro de 2021 atende ao público-alvo: famílias extremamente pobres com renda familiar mensal per capita de R$ 105,00 ou menos, famílias pobres com renda familiar mensal per capita de R$ $ 105,01 Entre e 210,00 reais.

Ou seja, como você pode ver, poucos brasileiros que recebem auxílio emergencial para 2020/2021 serão beneficiados pelo novo programa. Para dar uma visão geral, quase 68 milhões de trabalhadores se beneficiaram do auxílio emergencial em 2020 e 39 milhões de trabalhadores se beneficiaram do último auxílio em 2021. Agora, cerca de 17 milhões de famílias serão beneficiadas com o novo programa.

Os trabalhadores por conta própria, os microempreendedores individuais, os desempregados e as mães solteiras como chefes de família. No entanto, em 24 de dezembro de 2021, o Governo Federal editou as medidas provisórias (MP nº 1.084) e concedeu ao Ministério da Cidadania um empréstimo especial de R$ 4,1 bilhões.

Calendário de pagamento 2022

Todos os beneficiários receberam o valor na caderneta de poupança digital da Caixa Econômica Federal. A cada nova parcela, dois calendários são lançados: um calendário de uso digital, os dias em que os recursos serão usados ​​para pagar contas e compras com cartão de débito virtual, e um calendário de saques e transferências, como o próprio nome sugere, para saque ou transferência de dinheiro para outras contas.

Sobre o benefício do Auxílio Brasil, já foi divulgado o calendário de fevereiro:

  • NIS final 1: 14 de fevereiro;
  • NIS final 2: 15 de fevereiro;
  • NIS final 3: 16 de fevereiro;
  • NIS final 4: 17 de fevereiro;
  • NIS final 5: 18 de fevereiro;
  • NIS final 6: 21 de fevereiro;
  • NIS final 7: 22 de fevereiro;
  • NIS final 8: 23 de fevereiro;
  • NIS final 9: 24 de fevereiro;
  • NIS final 0: 25 de fevereiro.